12/4/2021 • Dicas

PINGENTE RELICÁRIO

O pingente que guarda sentimento


Você já deve ter ouvido falar do pingente relicário, mas você sabe qual o seu significado e sua história?

Seguindo a temática do post sobre a Árvore da Vida, fizemos uma enquete no Instagram e vocês escolheram! Então, atendendo a pedidos, falaremos hoje sobre este que é um dos mais românticos pingentes da história: o relicário.

foto de colar com pingente relicário aberto em formato de coração, banhado à ouro rosê
Colar com pingente relicário aberto.

ORIGEM

A palavra é originada do latim relicarium, que significa “dos restos, das relíquias”.

Veja abaixo a definição do dicionário:

Relicário
substantivo masculino
1.
caixa, cofre, lugar próprio para guardar relíquias.

2.
bolsinha ou medalha com relíquias que algumas pessoas trazem ao pescoço, por devoção; firmal.


Definições de Oxford Languages


HISTÓRIA

Embora não se possa precisar a data do seu surgimento, sabe-se que o pingente como o conhecemos hoje, é a evolução de um antigo costume cristão.

De acordo com a tradição, quando um santo ou personagem importante falece, seus restos ou objetos pessoais são considerados relíquias, pois provam e lembram a existência de alguém que em vida foi visto como um cristão exemplar.

foto de relicário sagrado decorado da Idade Média

Relicário de Limoges, França. 1170. Tesouro do British Museum, Londres. Fonte: Google

“O culto de relíquias religiosas foi muito forte durante os primórdios do cristianismo e durante a Idade Média. Peregrinos de toda a Europa percorriam longas distâncias para chegar a igrejas que contavam com objetos da vida de um santo ou figura religiosa. Acreditava-se que se aproximar de tais objetos, ou mesmo contemplá-los, poderia ajudar a curar doenças, e vários milagres foram atribuídos a eles.


Essas relíquias costumavam ser guardadas em igrejas em objetos chamados relicários. Muitos deles contavam com uma decoração artística belíssima com pedras e metais preciosos.”

Fonte: Apaixonados por História

Esse hábito de guardar relíquias foi se popularizando com o tempo. Os relicários diminuíram cada vez mais até se tornarem “portáteis”, o que também os deixaria muito mais acessíveis e faria com que se tornassem, além de um amuleto, um item de moda.

foto de colar com pingente relicário em ouro, da era vitoriana
Relicário vitoriano. Fonte: Google


O PINGENTE RELICÁRIO

A moda do relicário em forma de joia, surgiu no Reino Unido em meados do século XIX, na rebuscada e romântica era vitoriana.

À primeira vista, pode parecer comum, mas é em seu interior que mora toda a graça e encanto da peça, pois a principal característica do pingente relicário é sua utilidade.

Pingente relicário aberto, contendo mechas de cabelo. Fonte: Google


O pingente abre como um livro e dentro dele é possível guardar algo que remeta à uma pessoa querida. Antigamente, guardava-se desde mechas de cabelo até dentes, mas o que pode parecer sombrio, nada mais é do que uma homenagem e uma maneira de demonstrar saudade e carinho.

foto de Relicário vitoriano de ouro, aberto, contendo fotos e mensagem escrita à mão
Relicário vitoriano de ouro, de 1889. Fonte: Google

Hoje em dia, guarda-se mensagens e principalmente fotos. Tudo o que é colocado dentro do pingente possui grande valor afetivo e por isso é tão usado em colares, pois com ele a pessoa pode sempre levar consigo algo ou alguém que ama.

O pingente relicário é um verdadeiro clássico da joalheria que se popularizou e faz parte – com muito sucesso! – do mundo das semijoias e bijuterias.

Tal popularidade se deve ao fato de que este pendente consegue ser mais do que uma joia. Ele traz consigo sentimentos e recordações, e também é uma ótima escolha para presentear quem se ama, o que torna a peça ainda mais especial.

Confira abaixo algumas opções de semijoias e bijuterias de diversos estilos com relicários, disponíveis no nosso site:

Gostou deste conteúdo? Conta pra gente nos comentários!

Obrigada e até a próxima!



Envie um Comentário